Escola?!

24.10.2019

      Depois de frequentar a mesma escola desde antes dos dois anos de idade, infelizmente chegou a hora de procurarmos uma nova escola pra Helena... Tem sido um processo difícil... tão difícil que me motivou a voltar a escrever por aqui!

       Muitas reflexões brotaram desse processo, muitas mães que encontro com questões parecidas ou completamente diversas, mas nesse mesmo contexto... Deu vontade de compartilhar, de ouvir! De escrever sobre EDUCAÇÃO!

       E a primeira questão é: o que valorizo quando busco uma escola para meus filhos?

      Alguns pais procuram “escolas fortes”, conteudistas, baseados nas experiências que eles acreditam terem tido do que era uma boa escola! Eu era uma dessas pessoas, que sonhava em colocar meus futuros filhos em uma escola como a que eu estudei... Até estudar um pouco mais sobre educação, fazer um bocado de terapia e os filhos terem se concretizado por aqui! Fico feliz pela minha concepção de “boa escola” ter mudado, e, mais feliz ainda por isso ter acontecido antes deles chegarem!

       Como mãe e professora, acredito cada vez menos que o nosso modelo educacional tradicional é apropriado! A procura por escolas que já preparem crianças pra um vestibular (que nem sabemos se ainda existirá) desde o começo do ensino fundamental!? Alunos exibindo por aí camisetas de escolas nas quais lê-se “Yes Stress”?! Confesso que, sem saber do contexto, me pergunto: que tipo de pressão essa criança, esse adolescente está passando dentro desse processo de ensino? Questiono e observo cada vez mais crianças que dedicam o único tempo que tem em casa com os pais para fazer tarefas de casa quando chegam cansados da escola; que deixam de realizar viagens em família porque não podem matar aula por um ou dois dias; que não podem brincar porque precisam estudar pra prova! Mas... um dia terão que se acostumar com isso, dizem alguns! Sim, e um dia nunca mais serão crianças de novo! Observo jovens adultos desmotivados com o sistema educacional quando entram na faculdade, que não sabem o que querem fazer, com muita dificuldade para lidar com grupos, com os outros, consigo mesmos. Cada vez mais frequente ouvir de amigas professoras casos de adolescentes deprimidos, de tentativas de suicídio de jovens!

        Claro, não estou dizendo que isso é “culpa da escola”... EMBORA, tenha descoberto que muitos dos meus traumas de infância vieram da relação com a escola ou se manifestaram dentro dela! Mas... reforço a pergunta que compreende o todo no qual a proposta de escola está inserida: o que valorizamos? O que importa? Você sabe o que importa pra você? O que você valoriza?

        Aqui temos clareza do que nos importa! E claro, o que nos importa, não precisa importar pra mais ninguém! Falo por nós, pela nossa escolha, pela nossa família! E em nossa escolha, amo a “nossa escola”! Amo a escola que meus 4 filhos estudam... Mas falo disso num próximo post!

 

 

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now