Quando a gente pensa que já sabe das coisas ...sqn! O relato de amamentação do terceiro filho!

08.08.2017

 

       Ulisses nasceu em casa, com 41 semanas e 1 dia! Nasceu na piscina, veio pro meu colo, cantei pra ele! Fomos pra minha cama, juntinhos, e assim ficamos, com ele grudado no peito! Ah, como foi bom! E assim ficamos sempre, porque Ulisses adorava um peito!

        Ulisses mamava tão esganadamente quanto o Apolo, e demorava como a Helena! Lindo tudo isso, mas de uma exigência sem fim para quem tinha mais dois filhos pequenos, de 2 e 4 anos para dar atenção!

        Numa relação mal resolvida com a tal da chupeta, resisti por um tempo, mas resolvi oferecer! Ainda mais depois do tanto que havia sido tranquilo tirar a chupeta da Helena... Ofereci, mas ele não quis! Compramos mais de um tipo diferente e, nada! Ele cuspia, dava ânsia! Cheguei a molhar a chupeta no meu leite para ver se ele chupava! Nada feito! Ele queria mesmo era o peito! Dia e noite, noite e dia! E eu dava!

         Ulisses seguia mamando muito! Aos seis meses de amamentação exclusiva pesava 8,2 kg. Sim, ele era o que mais mamava, mas foi o que menos engordou (nasceu com 3,790)! Dormia pouco!      Pouco de dia, acordava muitas vezes a noite! Ainda é o que menos gosta de dormir!

         Começamos a introdução alimentar com pouco mais de 6 meses! Ulisses devorou as frutas e continuou mamando sem parar!

         Voltei ao trabalho! Mantivemos a amamentação! A minha flexibilidade de horário me permitia amamentar bastante! Comecei a tirar leite para deixar para as noites em que ele dormiria antes de eu voltar! Muita peleja! Amamentava em um seio várias vezes, para que o outro enchesse o suficiente para que eu conseguisse tirar!

         A coisa foi ficando muito estressante e cansativa: preparar aulas, trabalhar inclusive a noite, dar atenção pra dois filhos pequenos, cuidar de um bebê, amamentar dia e noite e tirar leite... Não, eu não consegui isso por muito tempo!

         O leite que precisava tirar era pouco, mas me demandava um tempo que eu não tinha naquele momento! Ao mesmo tempo, eu não queria dar fórmulas industrializadas! Então introduzimos os leites vegetais! Leite de cará e de inhame feitos pelo marido e leite de arroz orgânico (caro!!!!), no começo! Ele mandava ver! Depois tentamos o de soja: esse ele não gostou de jeito nenhum!

        Ulisses comia bem, e continuava mamando em mim! Dia e noite! Muitas vezes a noite! Ele, com mais de um ano, e eu, feliz porque sempre quis amamentar mais tempo, mas exaurida, na rotina de trabalho, três filhos e muitas noites em claro!

         Decidi tirar a mamada da noite! Ele acordava, chamava, marido ia! Levava água, colo, consolo, mas ele queria mesmo era peito! Quando marido aparecia na porta do quarto, já dava até pra saber... ele gritava, mais alto! Virava de costas no berço! E chorava...! Passamos umas três noites assim: ele não dormia, marido não dormia, eu não dormia!

         Na terceira noite, saí de casa, 4h30 da manhã, a pé, para dar uma voltinha no quarteirão! Estava exausta e enlouquecida! Queria sumir... queria dormir!

         Dizem que é melhor aceitar que dói menos, não é mesmo?! Pois bem! Me rendi! Voltei pra casa e decidi dar o tanto de mama que ele quisesse, na hora que quisesse! Era menos cansativo acordar e dar o peito do que ficar naquela peleja! E eis que ele passou a não acordar mais todas as noites! E seguimos firme na amamentação! Em geral, ele mamava de manhã, antes de ir para escolinha, depois do almoço e a noite!

         Enfim, nos rendemos ao composto lácteo pela manhã! Arrumar três filhos para ir para escola, me arrumar para sair para o trabalho e marido também e ainda amamentar o quanto Ulisses queria não estava cabendo na nossa rotina!

         Aos poucos introduzimos o composto lácteo a noite também! Ele aceitou bem!

         Ulisses era agitado, gostava de brincar, passou a demandar menos as mamadas em mim!                    Mantivemos especialmente as mamadas de depois do almoço, quando ele voltava da escola!

         Engravidei de novo! Ele, com um ano e dois meses, seguiu mamando! Eu o buscava na escola e tinha dias que dava mama lá mesmo! Outros dias, subíamos no elevador de casa com ele arrancando minha roupa, louco pelo mama!

         Três meses depois, já não estava tão bom amamentar! Ulisses queria mais do que aconchego no peito, queria leite, que foi se tornando pouco! Sugava forte, com a boca cheia de dentes! O peito sensível da gravidez! Foi então que chegaram abençoadas férias: a minha em uma semana, a dos meninos em outra! Quebramos a rotina e o marido começou a buscar na escola e oferecer o copinho com composto lácteo nessa hora! Eu chegava do trabalho e ele já tinha “mamado”... Parou de pedir, parou de mamar! Sem sofrimento, nem pra mim, nem pra ele! O meu tempo já tinha dado, e sou grata por ter copnseguido  esperar o dele!

 

 

 

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now