O relato de amamentação do segundo filho!

05.08.2017

             Apolo nasceu com 40 semanas exatas, em um parto “normal” hospitalar! Depois de um trabalho de parto que teve seu início e meio tranquilos, o nosso expulsivo foi horroroso! O centro cirúrgico, a maca, os enfermeiros, a episio... tudo isso me deixou completamente exaurida e foi assim que recebi Apolo em meus seios enquanto as médicas me costuravam.

            Apolo não quis mamar! Acho que ele também estava exausto! Depois de um tempo comigo, eu pedi para tirarem ele de cima de mim. Eu não aguentava de dor no corpo e cansaço! Tivemos alguns minutos de ouro, mas perdemos a mamada da nossa primeira hora! Eu ainda não sabia nada sobre isso!

            Nos reencontramos cerca de duas horas depois! E então Apolo mamou! Mamou um leite que já ensaiava descer mesmo antes de eu dar a luz! E pelo menos dessa vez ninguém me separou mais do meu bebê! Dormimos juntos a primeira e única noite que passamos no hospital!

            Apolo mamava quando queria!  Livre demanda passou a fazer parte da minha vida! 

            Fomos para casa, e a mamada dele era “eficiente”! Enquanto Helena, quando era pitica, mamava cerca de 40 minutos, Apolo mamava esganadamente por no máximo uns dez minutos, largava o peito e depois só ia reclamar de novo depois de mais ou menos três horas...

            Leite descendo, bico de peito bonitinho! Mas... Como resultado do parto, cheguei em casa cansada e com muita dor nas partes baixas! E quer coisa melhor pra isso tudo do que um bom banho quente!? Além do mais, na época da Helena, me disseram que tomar banho quente fazia o leite descer! Ops!... Mas o leite já tinha descido! Apolo já estava mamando, muito! E então, no sexto dia depois do parto, e de uma série de banhos escaldantes, comecei a passar MUITO mal! No sétimo dia, eu tinha a sensação era de que havia sido atropelada várias vezes por um caminhão! Meu corpo todo doía! Eu tinha febre! Achei que tava morrendo! Que tinha pegado uma infecção ou algo do tipo! Fui pro pronto socorro!

            Chegando ao hospital, o obstetra que me atendeu foi o mesmo que havia me dado alta do parto! Falei pra ele que achava que estava com infecção! Ele olhou pra mim, incrédulo, e disse que a taxa de infecção de parto normal era baixíssima! Eu insisti, e perguntei se ele não queria dar uma olhada lá embaixo, pra ver se estava tudo certo! Ele não quis! Mas pediu para que eu mostrasse os seios!... Lindos, duros, vermelhos... de uma mastite que, apesar de doída, ainda estava no começo! Vixi, fiquei pensando como aquilo poderia ficar pior!? Enfim, um remedinho pra febre, a suspensão dos banhos quentes e tirar um pouco do leite uns três dias com uma bombinha manual resolveram meu problema!

           Apolo seguia mamando eficientemente bem! E isso me fazia feliz, afinal, eu queria de toda forma, que Helena continuasse tendo toda a atenção que recebia antes dele nascer, e não ter que ficar com um bebê o tempo todo no peito facilitava demais! E apesar de toda a eficiência, talvez por isso, Apolo ganhou uma chupeta! E aos três meses, sem pressão nem choro, passou a dormir a noite toda! Na verdade, até hoje, Apolo é nosso filho que mais gosta de dormir!

          Ele, que nasceu com 3,575kg e aos 6 meses de amamentação exclusiva já pesava 9,4 kg. Foi quando o pediatra sugeriu a introdução alimentar! Como eu ainda tinha férias depois da licença, pedi para esperarmos mais um mês! A experiência com a Helena me dava medo de que quando ele começasse a comer, também parasse de mamar! E os sete meses chegaram e então o pediatra insistiu! Ainda segurei por mais um tempinho, e apenas na semana anterior a próxima consulta, quando ele completaria 8 meses, começamos a tentar dar fruta e água! Acho que meu medo de Apolo não mamar mais era tanto, que passamos mais de semana insistido para ele comer, sem que ele aceitasse absolutamente nada! Não abria a boca, e quando abria cuspia ou vomitava tudo! Eu, no fundo não queria que ele comesse! Mas, enfim, já era hora! E depois de muita peleja ele tomou gosto pela coisa... e desgostou do peito! E bastou um mês de alimentação que Apolo também não quis mais mamar! Eu colocava ele no peito e ele refugava! E de novo eu chorei o fim da amamentação! E aprendi mais um pouco pro processo que foi a labuta com a amamentação do terceiro filho!

 

 

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now