A tal da “carga mental” no pós-parto!

19.06.2017

 

 

Esses dias viralizou nas redes sociais uns quadrinhos sobre o porque nós, mulheres, ainda que tenhamos as tarefas divididas, ficamos tão cansadas: a tal da carga mental!

Explicação simples e completamente coerente!

O tal do planejamento, de ter que pensar em tudo, organizar tudo, uma exaustão mental gigante para as coisas funcionarem...

Se a tal da carga mental já é pesada no dia a dia, no pós-parto ela é desumana! ainda mais quando combina uma relação com um ser completa e vitalmente vinculado, num processo de amamentação exclusiva e em livre demanda...

 

 

 

 

Você entra no chuveiro, e ouve mentalmente seu bebê chorar, ainda que ele não chore.

Você lancha correndo, devora o almoço...

Tem umas noites melhores que outras... Mas o sono é leve, e pouco.

Sair sozinha é sinônimo de sair correndo!

E sabe de uma coisa? Apesar de amar seu bebê, você cansa de “eu” ser igual a “nós” quase todo o tempo!

E tem mais! A carga mental é alta, e muitas vezes de resultado frustrante... Você se organiza, planeja, peleja e na hora... ixi, ferrou!

Você vai sair de casa, já está atrasada e... o bebê faz aquela cagança, até a nuca!

Ele está satisfeito, encheu a pança há poucos minutos, mas... chora horrores ao ser colocado no  bebê conforto, porque agora quer o peito pra dormir!

Você pega o prato de comida, naquela hora que acabou de colocar ele pra dormir e... ele acorda!

Você acabou de tomar banho e... ele vomita em você!

Você planeja para começar a fazer exercício, e tentar acabar com aquela pança que ainda está gigante, e... ele adoece, passa a noite grudado no peito e assim permanece, e o máximo que dá pra fazer é uma meditação... Isso se você, acabada, não dormir no processo!

E... ele não dorme, e chora, chora, chora, porque quer peito, quer colo, e você quer chorar também, pelas programações que foram para o espaço, pelas coisas que teve que abrir mão... Pelo cansaço, pela dor e o peso nas costas, que é cuidar de um novo ser todo o tempo!

Sim, tem dias que pesa muito, mesmo quando a mãe é de quarta viagem!

E sabe o que é pior? Parece que é só cuidar de um bebê, e que isso tem que ser fácil!

Quando tem mais de um filho na jogada então, parece que ficar muitas vezes por conta de um “só”, é quase luxo, não?!

Nem sempre...  Nem sempre!  

Aí a você reclama e ouve: vai passar! E apesar de saber disso e estar completamente exausta, se pega querendo segurar o tempo...

Vai entender!

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now