Diversão!!! CineMaterna

         

 

         Por aqui não somos do tipo que achamos que filho é impedimento pra quase nada nessa vida, mas tem coisa que, depois deles, fica mesmo um pouco mais complicado de operacionalizar!
         Após ter minha primeira filha, uma das coisas que gostávamos muito, mas deixamos de fazer por aqui, foi ir ao cinema. Marido não animava ir sozinho, e eu, claro, especialmente no período de amamentação exclusiva, não tinha como largar a pequena por um período tão grande para acompanhá-lo. 
        Uma vez, quando ela já era maiorzinha, a deixamos na casa da minha irmã, mas a sensação era de que o filme não terminava nunca, que estava ficando tarde, de que estávamos abusando da boa vontade alheia (... hoje em dia já perdi a vergonha! Rss...!) e no final das contas, o que era pra ser um programinha gostoso, à dois, virou uma correria para irmos embora, a ponto de até deixarmos para trás meus cunhados que estavam de carona com a gente. 
        Bom, mas porque não levar o bebê na sessão de cinema? Essa não seria uma ótima opção!? Confesso, não acho (ou ACHAVA!) boa ideia... 
        Já ocorreu, muitas vezes, antes de ter filhos, de ver mães com bebês e crianças bem pequenas nas sessões de cinema, que de infantis não tinham ABSOLUTAMENTE NADA! Aí claro, como boa ainda-não-mãe que eu era, julgava horrores: nossa como a pessoa pode trazer uma criança nesse filme?, pensava! Lembro até da última sessão de cinema que assisti grávida, prestes a dar à luz: Cisne Negro. Nossa, já achei super inapropriado energeticamente estar vendo um filme tão pesado na circunstância na qual eu me encontrava, saí de lá até passando um pouco mal. Mas, sobretudo, fiquei imaginando qual o impacto daquilo para a criança (de um pouco menos de um ano), que acompanhava sua mãe umas três fileiras abaixo da minha!
        Enfim, como muitos julgamentos de ainda-não-mãe vão pro espaço quando nos tornamos uma, quando meu segundo filho nasceu, deixamos a nossa pequena crescida com os cunhados (é, os mesmos que abandonamos na sessão de cinema citada acima) e, depois de muita insistência do marido (claro que quando as coisas não dão certo a culpa é sempre deles! AHAHAHA) levamos nosso recém-nascido de menos de 45 dias para ver Homem de Ferro 3! 
        Imaginem uma sala de cinema congelante, com um som de arrebentar nossos tímpanos (imagina os dele!) e muita explosão e luta pra tornar a coisa bem interessante!? Agora pensem numa mãe, com um bebê que só queria saber de chorar (até eu, no lugar dele né?!) e que a única forma de deixá-lo um pouco mais calmo foi grudá-lo no meu peito durante todo o filme, enquanto equilibrava a manta e tampava os ouvidos do coitadinho! Isso sem contar o constrangimento de estar atrapalhando as outras pessoas que estavam lá! Como eu saí do filme? Acho que mais cansada e com o corpo mais doído do que o Robert Downey Jr.! Rsss....
        Valeu a pena? Não, com certeza não. Mas pelo menos serviu para refletir que aquelas mães que eu julgava antes, talvez levassem os filhos por extrema falta de opção! Mas... ops... elas tinham também a opção de não ir ao cinema, ficar em casa, claro! Mas porque temos que abrir mão de tantas coisas quando nos tornamos mãe???
        Acho que foi a partir desse anseio que, em 2008, uma nova opção surgiu para nós, mamães: o Cinematerna. 
        Já tinha pensado em escrever sobre isso por aqui, mas achava que era um tema que todas as pessoas (leia-se: mães) já tinham conhecimento. Acho que por estar envolvida nesse mundo de blogs, mães, grupos de mães, e mais um monte de coisa, acabo tendo informações que acho que todo mundo também tem, mas não é bem assim né?! 
        Me toquei disso quando, ao convidar uma mãe de uma coleguinha para irmos, hoje, juntas, ao Cinematerna, ela me disse que não sabia o que era! Daí vi que nem todo mundo sabe que essa opção existe, aqui em Uberlândia e em muitas outras cidades.
        Então, como informação e diversão nunca são demais, vamos lá!!! 
        O Cinematerna é uma sessão de cinema especialmente organizada para mães e bebês! Digo especialmente, porque papais, irmãos mais velhos, e outras pessoas também podem ir (mesmo que não tenham bebês!). Na sessão, que acontece toda última quinta-feira do mês, o ar condicionado é mais suave, o som mais baixo, as luzes ficam semi-apagadas. É possível levar o bebê no carrinho até a sala, e estacioná-lo próximo à tela. 
       Além disso, há trocador dentro da sala (com fraldas de todos os tamanhos, lencinho e pomada) e as pessoas, corresponsáveis pela iniciativa dão uma mãozinha caso a gente precise, segurando um pouco o bebê, ou ajudando na hora da troca.  
       Os filmes não são necessariamente infantis, mas somos nós, as mamães, que escolhemos, por votação, o que abre a oportunidade de que não sejam escolhidos filmes completamente inapropriados. Além disso, só o ambiente que é preparado, já é pra lá de aconchegante.
       Para as mamães dos bebês piticos, é uma ótima oportunidade para efetivamente assistir alguma coisa, já que eles dormem quase durante toda sessão. 
       Para as mamães dos engatinhantes, é montado um tapete emborrachado, antes da fileira de cadeiras, para deixá-los mais a vontade. 
       Para as mamães dos andantes, como está atualmente o meu, apesar de não ser possível assistir, de verdade, coisa nenhuma, vale a interação com as outras mamães na mesma situação, e o café que sempre rola depois das sessões! 
       As sessões aqui em Uberlândia começaram em agosto do ano passado, e estávamos lá, pitico e eu, desde o começo! 
      Para quem quiser saber mais informações, acessem o site: www.cinematerna.org.br e bom filme!!!!!!

 

(54 likes)

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now