Desmame?!

        Um dos meus maiores desejos nessa terceira experiência de maternidade era amamentar mais tempo! Comemoramos por aqui um ano de amamentação exclusiva com muito orgulho... mas também um bocado de cansaço!
        Recentemente, não estavam sendo raras as noites nas quais ele acordava 1, 2, 3 vezes... querendo o que? P-E-I-T-O! Sim, ele queria peito! Podia jantar mais tarde, comer fruta depois da janta e ainda mamar pra dormir, que ainda acordava de madrugada... com fome?  Impossível! Com sede? Arremessar longe a garrafinha de água no meio da madrugada, pra

 

mim, indica que não! Colo? As birras e esperneação no colo do pai deixavam claro que não era só isso!
         Não, não estava sendo fácil passar a madrugada com um menino colado no peito e acordar as 6 da matina para ir trabalhar... E ainda trabalhar algumas noites e chegar em casa mais de 23 horas para começar de novo a rotina extenuante da madrugada!
          Escolhi desmamar de madrugada! Peguei dicas valiosas com amiga querida, consultora de amamentação... E?! Af, nada funcionava!
           A criatura mirim é a insistência em forma de bebê! Foi uma semana e meia de madrugadas intensas por aqui! Marido super disponível, dava colo, oferecia água... E o bebê? Quando via o pai na porta do quarto, de madrugada, já começava a berrar mais alto, deitava no berço virado para a parede (juro!), esperneava, jogava a água longe, e simplesmente não parava de chorar! Uma das noites foi das 12h40 até as 4h35 da manhã! Confesso, esse dia, saí de madrugada para dar uma voltinha no quarteirão, senão, ou arremessava o bebê pela janela, ou pulava eu!
          Eu cansada, marido com cara de quem tinha sido atropelado por um caminhão!
Depois de conversar com uma amiga, veio a dica: “Sabrina, quando meu filho estava assim, decidi fazer o que ele pedia! E ele simplesmente parou de acordar”... Será???
          Fui refletir sobre o processo (com uma ajudinha da consulta com a medicina antroposófica!) e percebi que, na verdade, não queria desmamar de noite! A intenção, real, era desmamar de vez! E foi a partir dessa intensão que as madrugadas começaram a ficar mais intensas, e não o contrário!
        Porque eu queria desmamar? Ah, por muitos motivos, mas nada que estivesse em sintonia com o que o meu coração estava pedindo! Lá no fundo, estou feliz e orgulhosa por ainda amamentar! Por Ulisses gostar tanto desse nosso carinho! Eu não queria, e não quero ainda desmamar, e ele não quer parar de mamar! Essa é a verdade!
        E aí?! E aí que foi admitir isso internamente que, “milagrosamente” ele passou a dormir a noite inteira!
        Se a gente tivesse esse tipo de percepção com mais coisas nessa vida, talvez vários “problemas” fossem resolvidos de forma bem mais fácil, não?!
        E assim seguimos... mamando, mamando...! Um pouco menos cansados, com quase todas as noites um bocado mais bem dormidas! 

 

67 likes

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now