Onde encontrar roupas boas, bonitas e baratas para grávidas?!?

              Esse post também poderia ter recebido o título "Missão Impossível"... mas acho que estaria simplificando demais a questão! Rss...
            Passado o primeiro trimestre de gestação, por aqui, como imagino que deva acontecer com a maioria das grávidas por aí, praticamente nenhuma roupa mais serve. As calças e bermudas, quando entram, apertam; as blusas, se eu levanto os braços, mostram a pança; os vestidos mais curtos se tornaram indecentes... 
            E aí?! Não tem muito jeito, e o negócio é ir às compras! Agora o que eu pergunto é: onde, e a que preço?! 
            Não é novidade, para quem me conhece, que eu não sou uma pessoa que liga muito para essa história de moda. Meu estilo?! Sei lá, classificaria como “mulambo”! Rss... Se eu só usava sapatos de salto de vez em quando, agora, com dois filhos pequenos e grávida, só uso quando sou “constrangida”. Cabelo? O que é que quem tem cabelo enrolado e não pretende alisar pode fazer?! Não vejo solução além de lavar e passar um cremi
nho! Maquiagem?! Juro que já tentei: até pouco tempo tinha algumas coisas por aqui, depois dei um limpa, joguei tudo que estava vencido fora, e o que sobrou, doei... com certeza iria vencer também! Quando aparece “o evento” peço socorro para a cunhadinha, que dá um jeito bem do meu jeito (ou seja, com uma maquiagem quase imperceptível e um batom “cor de boca”!).
         Admiro mulheres que saem de casa bem vestidas, maquiadas, de salto e cabelo arrumado. Ai, admirar admiro, mas sem vontade de fazer igual sabe... ?! No período de gravidez, para mim, já é um esforço descompensado lembrar de passar o creminho para estrias duas vezes por dia, e o protetor solar de manhã, antes de ir trabalhar.
          Na verdade, não é que eu queira ser tão desleixada, mas cada dia sobra menos tempo (desculpa esfarrapada!) e, sobretudo, estar confortável é o que eu mais tenho levado em conta na hora de comprar coisas por aqui, além do preço, claro!  
           Se, roupas “normais”, a gente tem até muita opção de modelos, lugares para comprar, e, obviamente, preços; para as grávidas essas opções se extinguem!
           Na minha primeira gestação, herdei algumas roupas de grávida da minha irmã (que guardei durante 5 anos - diferença da minha filha para o meu sobrinho!). Além disso, improvisei com algumas roupas que não eram exatamente para grávidas: algumas blusas estilo batinha, calças de elástico, vestidos longos e soltinhos (que super  quebraram o galho até o final!) e macacões larguinhos. Roupa de grávida, mesmo, comprei uma bermuda e duas calça jeans, e só!  
           Para encontrar essas três peças, já tive um trabalho danado! Isso porque eu não consigo usar das calças que tem aquele “segura-barriga”! Tem grávida que gosta, acha que aquilo segura, protege, etc.... Mas pra mim, aquilo esquenta, aperta e me incomoda! E foi depois de pesquisar bastante, que encontrei a opção: calças de
grávida nas quais o elástico fica apenas no bolso! São ótimas e servem durante toda gravidez e pós-parto, sem deixar dúvida (ou quase) que você não está mais grávida nessa época! 
           Na segunda gravidez, pra falar que não comprei nada, quando fui defender minha tese de doutorado, com quase 7 meses de gestação, achei que esse fosse motivo razoável para investir em uma camisa de gestante! Achei uma até bonitinha, também em uma loja de departamento, e comprei! 
           E agora? Depois de usar as coisas durante duas gestações, no pós-parto, e ainda ter emprestado para uma amiga no intervalo, digamos que as coisas estão “meio acabadinhas”!  Então saí para ver se achava alguma coisa... e aí?! Nada! 
          Uma loja popular que vendia roupas de grávida não trabalha mais com esses produtos, e as duas lojas de departamento de onde vieram as minhas peças anteriores não tinham NADA! Na verdade, uma até tinha, numa arara de últimas peças: umas três calças tamanho GG com “segura-barriga”! 
          Tá, ainda sobram as lojas de gestante... Mas alguém pode me explicar porque uma roupa de grávida, em geral, custa pelo menos o dobro do preço de uma roupa “normal”? Sei que, muitas vezes, as mulheres se empolgam com o estado gravídico, e assim como compram horrores de coisas para o bebê, não se importam em pagar um “bom” preço por algumas peças... Mas, e para quem se importa? 
           A internet seria uma opção! No caso das roupas infantis, essa é uma alternativa usada por aqui para comprar coisas de qualidade e preço bom! Mas confesso que roupa pra mim (ainda mais grávida), não é uma coisa que considere muito simples de comprar virtualmente... 
          E aí?! Alguém me apresenta uma sugestão?!

 

 

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now