Puerpério: Rompendo a solidão e criando união! PARTE 1

31.03.2014

             Quem já foi mãe sabe o quanto é bom ficar grudadinha, curtinho o bebê nos primeiros meses de vida. O melhor adjetivo para definir esse momento acho que seria: “encantador”! É muito bom perceber que a maternidade se constrói, a cada dia, cada contato, cada choro, cada mamada!  Conhecer o bebê, se conhecer como mãe...
             Acho que nenhuma mulher se sente pronta para ser mãe. Acredito que quem quer ser mãe, em um momento, decide aceitar... e abraçar esse desafio. 
Pelo menos foi assim comigo! A maternidade, na minha vida, é construída, a cada novo desafio. E não, mesmo depois de dois filhos, não me sinto pronta, nem para os que já tenho, nem para os que, se Deus quiser, ainda virão! Rsss!
               Sim, a maternidade é encantadoramente desafiadora! 
               E os desafios muitas vezes nos parecem gigantes! Quem nunca sentou e chorou, com um bebê no colo, porque simplesmente não sabia o que fazer? Ah, eu já! 
             Me lembro bem, depois do mês de férias que meu marido tirou quando nossa primeira filha nasceu, que o dia que ele voltou para o trabalho foi um dos dias mais desesperadores da minha vida!!! Eu nunca tinha cuidado de um bebê até minha filha nascer, e o marido, enquanto estava em casa, fazia muitas coisas... na verdade, todas as coisas que não fossem amamentar! Rss... Então, o que eu faria ali, em casa, sozinha com aquele ser?! A responsabilidade me amedrontou! 
              Medos, angústias, tudo isso faz parte do universo materno sim. E costuma ser um mundo muito solitário também. Em geral ficamos sozinhas, em casa, com os bebês no período de licença maternidade. E isso, pelo menos pra mim, também se torna uma questão enlouquecedora....e de enlouquecer o marido, quando ele chega do trabalho! Rss... 
         Todo mundo que tem, ou já teve um bebê em casa, sabe o que é essa rotina, não?! Esgotamento e solidão costumam fazer parte do universo materno! 
               Mas o que fazer quando se tem um bebê pequeno?
          Eu não tive a oportunidade de conhecer muitas coisas legais para fazer quando minha primeira filha nasceu. Mesmo agora, com o segundo, muitas coisas interessantes, só tive contato depois. Então, para que outras mamães possam aproveitar, uma das propostas do blog é trazer dicas de algumas atividades nas quais as mães possam interagir, com o ambiente, com outras mamães, e, de forma mais intensa, com o bebê nesse período! 
        Então está aqui nossa primeira sugestão! Espero que tenham a oportunidade de conhecer; e que gostem!!! E que mamães de outras cidades possam buscar espaços e oportunidades como essa!!! Vocês tem algum para indicar?!

 

Yoga para Mamães e Bebês!

Porquê yoga?
Não é porque está na moda, ou pra modelar o corpo, da mãe e do bebê é por algo um pouco mais profundo e significativo.
O que significa yoga?
“Yoga significa juntar /unir, é quando a consciência individual se une a Consciência Infinita, permitindo você experimentar uma vida realizada. Todas suas atitudes, escolhas passam a ser mais coerentes com  quem você realmente É”.

E o bebês?
São seres recém-chegados, ainda ligados ao útero materno de forma sutil e verdadeira, imersos em processos diários de adaptação ao corpinho pequeno que ganha novas formas e funções a cada dia, essas mudanças geram confusão e desconforto.
Trazer os bebês pra esse contato corporal, com seu corpo e da mãe aumentam a troca de amor, aumentam a confiança e desenvolvimento de emoções saudáveis e mais livres, melhora a consciência corporal em desenvolvimento além de uma maior consciência de si.
Dentro da tradição de Kundalini yoga aprendemos desde cedo a honrar e servir, agir com a consciência individual e divina que nos habita e podemos enquanto mães abençoar e ensinar o divino e sagrado que está em cada um de nós. Os bebês recebem essas bênçãos e entram em contato com suas consciências crescendo com maior capacidade de escolhas próprias, livres e vindas do seu verdadeiro “eu”.

As mamães?
Encontram um espaço para se enxergarem, enquanto respiram entram em contato com sua individualidade e consciência.
Melhoram sua flexibilidade física, sistema imunológico e neuro-hormonal e adquirem maior força e resistência para os desafios diários. Melhora sua percepção sobre as necessidades do seu filho e compreensão de como ajuda-los, pois aumenta e fortalece a conexão existente entre eles.
Essa prática foi trazida ao ocidente por Yogui Bhajan para ajudar as pessoas a serem mais felizes, saudáveis e divinas vivendo em sua consciência na Era de Aquario.
Pessoalmente como professora de Kundalini yoga vejo essa pratica na vida de bebês e crianças como uma chance de um mundo realmente novo, ensinando desde cedo os valores de servir, honrar e amar e trazendo novas oportunidades de cura pra um mundo doente, mudando a percepção das crianças sobre a vida, sobre Deus e sobre elas mesmas me sinto contribuindo para a nova Era que começamos e que será diferente se fizermos diferente agora, pra nós e pra todos.

                                                                                                                                                       Sangeeta Kaur (professora de Kundalini yoga)

 

Obrigada à amiga e professora que ministra as aulas e nos forneceu as informações sobre a Yoga para mamães e bebês!!!

 

(98 likes)

 

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now